fbpx

Remote Portugal

Trabalho remoto por conta de outrem? Conhece as empresas que transitaram para o remoto

Empresas que transitam para o trabalho remoto

Ao longo de 2020, milhares de empresas foram obrigadas a adaptar o seu modo de funcionamento e colocaram os seus trabalhadores em trabalho remoto (ou teletrabalho—como já demonstramos as diferenças). 

Seja porque já sentiram as vantagens do trabalho remoto, seja porque acreditam num futuro digital e descentralizado, muitas destas empresas já admitiram que esta realidade é para continuar e que o trabalho remoto veio para ficar

Descobre alguns exemplos de empresas, em Portugal e no mundo, que já anunciaram a transição para o trabalho remoto—e quais as estratégias que querem levar para o futuro!

O que é o trabalho remoto?

Trabalhar remotamente consiste em trabalhar de forma flexível, a partir de qualquer lugar que reúna as condições necessárias para desempenhar a função. Muitas vezes, estas condições resumem-se a uma boa cobertura de internet. 

Assim, há uma maior liberdade, tanto em termos de horários, como de localização. Mas tudo isto requer uma boa capacidade de gestão e organização pessoal.

Teletrabalho vs Trabalho Remoto

A realidade do teletrabalho, difundido em larga escala durante a pandemia, é diferente do que acreditamos ser o verdadeiro espírito do trabalho remoto. Considera-se “teletrabalho” quando as funções são desempenhadas a partir de casa, num horário definido pela empresa, com as condições semelhantes às existentes no trabalho presencial

O trabalho remoto é algo mais amplo e livre. Pode ser executado numa biblioteca ao virar da esquina ou no outro lado do planeta. A comunicação é mais assíncrona do que síncrona, e os objetivos são concretos e coerentes com a missão do grupo. Para além disto, ainda há maior liberdade para a escolha do horário em que cada um se sente mais produtivo e eficaz.

Para perceberes melhor estas diferenças, vê o nosso artigo.

As principais vantagens de trabalhar remotamente

Trabalhar remotamente traz vantagens para trabalhadores e também para as empresas que adotam este regime. Para o trabalhador, estas vantagens são:

  • Liberdade para trabalhar a partir de qualquer lugar;
  • Mais tempo de qualidade;
  • Melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional;
  • Aumento da autonomia;
  • Trabalhar num ambiente mais confortável e relaxado.

Os pontos positivos para os trabalhadores refletem-se na qualidade do trabalho entregue às empresas. Além desta, as restantes vantagens para as empresas são:

  • Redução de custos de manutenção de espaços físicos (como escritórios, por exemplo);
  • Menos faltas e atrasos;
  • Maior facilidade em contratar e reter talento (que pode estar em qualquer área geográfica);
  • Sustentabilidade.

Para tirar partido deste modo de trabalho é necessário que as empresas e os gestores de equipas façam um planeamento apropriado e definam boas estratégias. Numa fase inicial, devem alinhar as expectativas das equipas e escolher as ferramentas que vão dar suporte à comunicação interna.

Além disto, é importante garantir que todos os colaboradores vivem a cultura da empresa e que se sentem cruciais para alcançar os objetivos traçados!

Evolução do Trabalho Remoto
Evolução do Trabalho Remoto

Empresas que transitaram para o trabalho remoto em Portugal 

A transição do trabalho presencial para o remoto tem vindo a acontecer naturalmente. No entanto, durante 2020 houve, logicamente, uma aceleração drástica nesse processo. (Informação retirada do Dinheirovivo.pt)

Desde novembro de 2020, todos os trabalhadores, cujas funções o permitem, estão em teletrabalho obrigatório por lei até ao final de 2021. Além desta obrigatoriedade, há empresas que já anunciaram que o trabalho remoto veio para ficar. Deixamos alguns exemplos:

  • A Xerox Portugal permite, desde 2015, que os seus trabalhadores trabalhem de uma forma totalmente remota;
  • A Worten oferece a possibilidade de trabalhar remotamente e flexibilidade na escolha do horário;
  • A Siemens permite trabalho remoto;
  • A Revolut adotou o trabalho remoto transformando os seus escritórios em “laboratórios” adaptados para trabalho colaborativo (com apenas uma pequena parte para trabalho individual);
  • A Unbabel tem trabalhadores em regime totalmente remoto, principalmente nas áreas de vendas e negócios, e continua a contratar para vagas deste tipo; 
  • A Farfetch permite o trabalho remoto e também que os funcionários adaptem os seus horários.
  • Na Blip, todos os colaboradores podem escolher um ou dois dias para trabalharem de casa e estão a ponderar a expansão do trabalho 100% remoto—que já está a ser implementado com dois colaboradores e com resultados positivos.
  • A Liberty Europa colocou 2000 trabalhadores em trabalho remoto, de forma definitiva—400 deles em Portugal. Para ajudar à adaptação, a empresa criou um apoio para os funcionários (de 55 euros brutos mensais), para cobrir as despesas relacionadas com a atividade.

Porque é que as empresas estão a transitar para o trabalho remoto? 

Há diferentes motivos que levaram à adoção do trabalho remoto por parte das empresas. O principal acelerador, e fator comum a várias empresas, foram as razões sanitárias despoletadas pela pandemia. 

Sim, é difícil separar o fator “pandemia” desta transição. A pandemia permitiu, em vários casos, testar esse modelo. Além disto, em todos os casos, é notória a preocupação com o bem-estar e a felicidade dos colaboradores

No que diz respeito ao trabalho que é feito fora do escritório, são vários os estudos que demonstram que existe um aumento na produtividade dos trabalhadores. Um deles, demonstra que 44% dos portugueses se sente mais produtivo a trabalhar a partir de casa.

Exemplo de Trabalho Remoto - Cowork Start Esposende

E lá fora? Quais as empresas que anunciaram a transição para o trabalho remoto?

O trabalho remoto chegou para ficar, havendo já muitas empresas a nível mundial que manifestaram o seu interesse em continuar a trabalhar remotamente. Seguem-se alguns exemplos:

  • A iHerb, empresa ligada à promoção de um estilo de vida saudável e aos suplementos vitamínicos e de produtos naturais, anunciou que parte dos funcionários vão ter a oportunidade de trabalhar remotamente. Além desta opção, a empresa ainda assegura um apoio para quem escolher trabalhar remotamente—para ajudar a cobrir as despesas.
  • A Shopify—uma plataforma de e-commerce focada em ajudar pequenas e médias empresas a projetarem, organizarem e gerirem as suas lojas vai continuar com o trabalho remoto no futuro.
  • A Motorola Solutions, empresa ligada à indústria de equipamentos de telecomunicações e dados, também apresenta diversas vagas 100% remotas.
  • Github, detentora de uma plataforma que facilita a partilha de código e o trabalho colaborativo, defende uma cultura que incentiva o trabalho remoto. Os benefícios variam consoante o país em que a pessoa será contratada.
Pesquisa Trabalho Remoto
Pesquisa Trabalho Remoto - https://www.glassdoor.com/Job/remote-jobs-SRCH_KO0,6.htm

Cada vez mais as empresas apostam em modelos de trabalho flexíveis, para se adaptarem às necessidades e expectativas dos seus colaboradores. A esta flexibilidade, que combina trabalho e escritório, chamamos “regime misto”. 

Regime Misto vs. Regime Remoto

Apesar de a experiência de trabalhar completamente de forma remota estar a ser uma realidade, ainda há várias empresas e pessoas que não o veem como sendo o seu futuro. No entanto, para beneficiar de algumas das vantagens optam por um regime misto—também conhecido por “híbrido”.

O regime misto consiste em trabalhar durante um número definido de dias a partir de casa e, o restante, a partir do escritório. Esta proporção varia e pode ser definida por semana ou mês, por exemplo. 

Várias empresas portuguesas estão a tornar-se mais flexíveis através da adoção do regime misto. Por exemplo, a Claranet pondera que cerca de 25% do tempo de trabalho dos funcionários seja remoto. Já a Natixis tem a opção de trabalhar seis dias por mês em casa, sem necessidade de ir ao escritório. Por sua vez, a JLL implementou uma estratégia de um dia de trabalho remoto por semana. 

No panorama geral, 9 em cada 10 empresas em Portugal admite continuar com um regime de trabalho híbrido. Apesar de isto ser um bom indicador, há ainda trabalho a fazer pelas empresas para ganharem maturidade e tirarem, assim, o máximo partido deste modelo (dados do estudo Staying competitive in a hybridworld).

A Remote Portugal e o impacto da pandemia nas empresas

Muitas empresas viram-se forçadas a fazer a transição para o digital, por razões sanitárias. Ainda que existam empresas que voltem ao antigo normal, a experiência ficou. Muitos trabalhadores e empresas vivenciaram um regime de trabalho diferente e perceberam as vantagens e desvantagens—e também como se adaptarem. 

Daqui em diante, esta transição será mais simples e ficaremos mais próximos de uma realidade em que o trabalho remoto é “normal”. E nós, na Remote Portugal, estamos cá para ajudar no que conseguirmos!

Queres abraçar um futuro mais remoto na tua empresa? 

Se precisas de ajuda na transição da tua empresa para o digital, a Remote Portugal pode ajudar-te! Desde reunir as melhores estratégias e ferramentas à implementação e documentação de processos que funcionam! Fala connosco!

1 menção em “Trabalho remoto por conta de outrem? Conhece as empresas que transitaram para o remoto”

  1. Pingback: O que é o trabalho remoto? - Remote Portugal

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *